Daniel Zé / Memórias Meio Inventadas

contracapa 2

Aos primeiros acordes de Ostras, primeira música de  Memórias Meio Inventadas, Daniel Zé já dá o tom do que permeia seu primeiro disco solo: musicalidade, introspecção e melodias bem estruturadas. Da primeira à última faixa, há uma profusão de elementos variados, trazendo pessoalidade a cada uma das composições. Se em Mais Um Dia, ele passeia pelo rock´n roll chiclete (e um excelente chiclete), em Seu Mundo e Bonitinha ele evoca um romantismo antiquado para os padrões atuais, mas apaixonado, resultado de referências variadas trazidas ao longo da carreira.

Há sentimento em cada uma das canções, claramente uma mistura de influências de passado/presente/futuro, flertando com o contemporâneo, mas sem esquecer da modernidade sonora, uma mistura que dá certo no trabalho do cantor/guitarrista. Esse amálgama fica ainda mais evidente nas ótimas Memórias Meio Inventadas, Pró-C e Milícia, canções fortes e que refletem em suas letras o coletivo e a realidade. Além disso, nota-se que há uma cadência escolhida com muito cuidado para ordem das faixas, que fluem e se complementam. Até o projeto gráfico e as fotos parecem ter sido feitos para funcionar como uma peça só, visando expressar uma unidade visual/sonora. Este perfeccionismo e minuciosidade agregam muito valor à obra, fazendo com que o trabalho tenha algo que tem faltado muito na cena musical brasileira: personalidade e alma.

Um dos favoritos do ano, certamente.

encarte_1

“Memórias Meio Inventadas”

 Daniel Zé

 Site: www.danielze.com.br

 Fanpage: www.facebook.com/danielzeoficial

Anúncios